Ementário

Anotações do verde

que nos alimenta.

Alquimia Vegetal

 

O conhecimento que nos chega através das plantas pede que honremos a sua presença e nos desenvolvamos em conjunto com ela. As filosofias e medicinas tradicionais denotam a extrema importância da intimidade com o mundo natural.

Ao longo do tempo fui compreendendo que os compassos de interioridade e expansão são os grandes mestres do tempo natural e que os vamos aprendendo a afinar dentro de nós.

Desde a ciano-bactéria, à alga, ao líquen. Dos fetos às flores e frutos. 

Todas elas nos ensinam uma evolução pautada de simbiose e compaixão.

Aqui ficam as pegadas, os espaços  delas em nós, onde são criadas raízes e se revelam as asas.

Atenção

Aquilo que na Natureza nos chama a atenção está na verdade a pedir que deste lado comuniquemos com a mesma linguagem original.

- ÂNIMO -

Prática

O tempo dedicado ao contacto directo com cada planta é como um aprofundamento da mestria das plantas em conjunto com as nossas próprias sabedorias.

- UNIÃO -

Libertar

Com o que foi apreendido é tempo de criar e partilhar. Dá-se o espaço à materialização de uma nova forma de vida, mais do que a soma das partes é um novo ser que emerge.

- GERAR -

Integração

Da presença atenta chega-nos o sentir da história da planta, a beleza dos seus estágios de crescimento, de cada dificuldade e superação que lhe deram a forma.

-  ENTENDIMENTO -

Confiar

Depois de um imergir de talentos é o tempo de deixar toda a estrutura da cultura envolvente poder exercer a sua influência e que estas aconteçam naturalmente.

- ENTREGA -

Celebrar

Cada acto criativo que é partilhado é merecedor de um tempo que o torne solene. Aqui os rituais de agradecimento são um reconhecer do que foi feito para que no futuro se continue a criar com propósito.

- RITO -

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now