Bem

Vindos

ao lugar do florescer cultivado, ao entusiasmo pela flora, pelo solo e por uma vida simples que brota do espontâneo.


Aqui cultivam-se ervas daninhas, bactérias e todas as formas de vida de modo a valorizar a sua  insistência na conjunta evolução com o ser humano.

As palavras que chegam vêm do rodopio das Estações, do entre a inspiração do campo, dos seus frutos e a expiração na Oficina e nos tachos.

É  uma forma de agradecimento pela abundância desta Terra. 

Crónicas Recentes

Mary Oliver em tradução livre nesta Terra:

Ensinem as crianças. Nós já não importamos tanto, mas as crianças sim. Mostrem-lhes a Margarida, a Calêndula. Ensinem-lhes o sabor das Azedas e do Funcho. As vidas das Línguas de Ovelha, das Malvas, das Velas-de-Nossa-Senhora e das Dedaleiras. E as brincalhonas Silvas, as Patas de Ganso e os Dentes-de-Leão. E as aromáticas: a Esteva, o Tormentelho... Deem-lhes Mentrasto para porem nos bolsos quando vão para a escola. Deem-lhes os campos e os bosques e a possibilidade do mundo ser resgatado dos senhores do lucro. Levem-nas aos riachos, encaminhem-nas rio acima, celebrem enquanto elas aprendem a amar este espaço verde em que vivem, os seus galhos e folhas e depois as silenciosas e bonitas flores.

A atenção é o começo da dedicação.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now