Há casas que vivem connosco


Se há lugares que nos fazem sentir em casa, há também casas que nos fazem sentir dentro de nós, não só pelas pedras que se sobrepõe em paredes, nem só pelas histórias que permeiam cada objecto que lá vive, é a alma comum que lá habita e nos faz sentir o sentido da vida.

A primeira vez que fui a esta casa foi há 2 anos atrás, e tal como numa relação humana, consigo ir sentido o meu crescimento à medida que a reencontro, seja num dia de festa em que o jardim se enche de pessoas sorridentes ou pelas conversas à volta das labaredas do fogão aberto num retiro de mulheres em crescimento..

Se existem lugares que escolhem as pessoas, este é um deles. Esta casa é o lar de uma pessoa muito especial, uma mulher que nos ensina vivendo, que nos serve compaixão em cada visita como se fosse sempre o prato principal de cada refeição. Esta é a Vicca, uma das mulheres mais entusiasmadas e inspiradoras que conheço, a quem tenho o prazer de chamar amiga e que apesar do nosso distanciamento de idades a sinto como irmã.

Tal como ela, queremos abrir também mais as portas das nossas moradas e é assim que deixamos aqui o espaço para que ela nos ensine o que é o construir de uma casa, as histórias do eterno renovar, o crescer com os ciclos que nos fazem.

Vai também lá acontecer uma Celebração do Equinócio que se estenderá por 3 dias e muito em breve receberão notícias desta festa que com certeza ficará bem na memória desta Casa e de por quem lá passar...

A CASA DA ÍNSUA – CASA DE SAÚDE E BEM ESTAR A Casa da Ínsua foi reconstruída há 25 anos. Foi neste mês de Setembro que a habitámos, meu marido e eu. Os filhos já adultos e os mais velhos já casados e com filhotes, vinham e vêm sempre que lhes é possível. O 1º registo predial data de 1937, mas a 1ª construção deve datar do início do sec.XX. Foi construída em 2 fases, a primeira de grandes pedras graníticas e a 2ªfase de piçarra, correspondendo a 2 períodos de emigração do “Patriarca da Família”.

Está localizada num vale aberto a sul em Azevedo, aldeia muito antiga doada no sec XI. É uma aldeia pacífica, “coroada de montes” e é interessante que entre culturas de vegetais e flores, todas as casas têm Alecrim. O nome vem do árabe (que apenas os falantes de língua portuguesa usam), e quer dizer “coroa dos montes”. A maior parte das pessoas vive da pequena Agricultura e de Serviços, também da Construção Civil - Os filhos que estudaram pelo menos até ao 12º ano e alguns já com Cursos superiores, mesmo vivendo fora, continuam a vir com frequência acompanhar os pais nas tarefas do campo, nas festas cíclicas que ainda se mantêm e no acompanhamento dos idosos das famílias que podem contar sempre com o carinho e cuidados dos mais novos. A Casa da Ínsua é um lugar muito especial, dentro de Casa e fora, no Jardim. Mantem a traça antiga, toda em granito e madeira, renovada com materiais ecológicos onde o novo e o antigo se casam em harmonia.

No jardim deixamos flores e arbustos crescer em liberdade, ajustando o menos possível. Árvores ancestrais (castanheiros, carvalhos, sobreiros e citrinos), acolheram as plantadas de novo que têm já 25 anos… Aqui se faziam as festas da Aldeia, no tempo dos 2 irmãos, marceneiros, últimos ocupantes da antiga família. O Ti Zé da Rudaínsua, foi o último e acatava de bom humor os chistes que os jovens bailarinos de domingo lhe dirigiam…

Onde há relva, florescia um pomar de laranjeiras que já não conhecemos.

E uma enorme cerejeira que teve de ser cortada (as árvores morrem mesmo de pé).

Vive nas estantes dos livros, na cabeceira do nosso quarto e em 3 mesinhas da sala de estar…

Há ainda a quintinha de agricultura bio-dinâmica, em fase de reorganização. Em 25 anos as árvores autóctones (e as “novinhas”) cresceram e, onde antes se colhiam legumes saborosos, a sua sombra obriga-nos a reordenar… Quem vem é sempre bem acolhido. Temos Alojamento Local, para viajantes de Abril a Setembro. Aqui encontram um lugar edílico de paz e silêncio, cortado pelo cantar dos pássaros e dos ventos na folhagem das árvores. As noites de lua ou apenas de céu de breu, quando ela se vai escondendo, são soberbas de encanto com o chão granítico pejado de micas estreladas… Quem desejar e a pedido, pode receber diferentes terapias de linha antroposófica 1 : Massagem segundo o Dr. Pressel, banhos terapêuticos, um pouco de quirofonética, conversas biográficas, passeios, visitas à aldeia, a Caminha, à Galiza… e se preferirem o “compacto”, podem usufruir de semanas terapêuticas, para descanso e renovação, com um conjunto de terapias à medida. É um espaço de cura e bem-estar, aberto a actividades lúdicas e de autoconhecimento em grupo ou a nível individual.

Sou apenas a Guardiã deste lugar, que está ao Serviço de quem o desejar e que fez formações adequadas ao longo da sua já longa vida. Sou como que uma espécie de ”pastora do ser” de quem vem procurar, especificamente, cuidados terapêuticos num lugar de calma, silêncio e repouso.

Também aberta a todos que vierem por bem e desejarem apenas usufruir e saborear calma e bem-estar.

Sereis todos bem-vindos. Vossa Vicca

#inspiração

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now